Vai um Ctrl+ alt + Z, aí?? | Crônica

3 de agosto de 2016
Nossa vida está cada dia mais associada a tecnologia, mas no fundo, gostaria que nossa vida fosse mais tecnológica, dessas cheia de recursos. Gostaria de ter um botão que eu pudesse pausar momentos que fossem eternos, voltar alguns minutos do “ví­deo” da minha vida para curtir novamente aquele momento feliz, avançar quando quisesse que aquele dia acabasse logo, dar um stop nos meus momentos de fúria ou apertar um eject quando eu quisesse que o filme acabasse.



Gostaria que meu cérebro fosse um sistema operacional como o Windows, que eu pudesse criar pontos de restauração, fazer backups, organizar as coisas em pastas, jogar o que não me interessa mais em uma lixeira e simplesmente dar o fim em tudo. Isso sem falar na função eraser ou no botãozinho delete afinal, quem nunca pensou em deletar um momento ou uma pessoa da sua vida?

Também não seria nada mal se eu pudesse ter um desses editores de imagem na vida real, não para corrigir minhas imperfeições afinal, ninguém é perfeito, mas não seria nada mal apertar um ctrl + alt + Z para desfazer um erro, uma palavra dita de forma equivocada ou até mesmo aquelas que não foram sequer pronunciadas.

Mas no fundo mesmo, queria ser um desses jogos de video-game tipo Mario. Queria poder pular nas estrelinhas para ter energia e principalmente, poder morrer algumas vezes, renascer, sair rolando pelo precipício e continuar ali no jogo, até o game over.

Talvez tenha essa necessidade porque não gosto de dar continuidade as coisas que eu considero perdidas. Tenho necessidade de mudar, de estar em constante transformação. Não gosto das certezas, da constância, por mais que eu busque o conforto do sim nos braços alheios. Odeio ter a sensação de estar próximo ao game over, mas tenho prazer em recomeçar. Não consigo começar na metade do caminho de uma coisa que não me agrada, eu preciso sempre recomeçar do 0.0% quase uma coisa Fenix meets Mario: você cai no precipício depois de tentar pular a ponte para passar para a outra fase, mas daqui a pouco ressurge ali, no mesmo ponto que você parou com um truque novo para pular a tal ponte. Caiu de novo? Tudo bem. Você ainda tem pelo menos 7 vidas para tentar. Game Over? Clica em reiniciar.

A grande verdade é que tudo na nossa vida tem um começo, meio mas não necessariamente um fim. Às vezes é preciso desapegar de algo para que o recomeço aconteça, para que as coisas positivas possam fluir. No fundo, o fim é o começo de uma nova fase, um game over seguido de uma nova chance de pontuar mais e subir no ranking da vida.

Mas, ainda assim, quem não queria ter a chance de ser um pouco Mario às vezes? :)


*O texto original foi escrito por Victoria Siqueira e publicado em Borboletando.org. O conteúdo foi considerado divertido e interessante a ser compartilhado.
Comentários no Facebook
6 Comentários no Blogger

6 comentários:

  1. arrasouu linda
    !amei o post
    beijos
    http://www.tatycamposblog.com/

    ResponderExcluir
  2. Muito bom esse texto e bastante reflexivo. Eu também queria ser um pouco do Mario as vezes também.

    Beijos
    https://pimentasdeacucar.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Acho que a vida é meio feita de erros mesmo, mas que as vezes dá vontade de viver na perfeição, isso dá HAHAH

    www.vestindoideias.com

    ResponderExcluir
  4. Ameeeei demais esse texto, que nunca queria todas essas coisas né? Como está escrito, nem sempre tem um fim. A cada ponto final, tem um novo paragrafo ai.
    Beijos
    www.conversandocomalua.com

    ResponderExcluir
  5. Ai, que texto maravilhoso! Eu já pensei como seria bom se tivesse todas essas ferramentes na vida real também, mas nunca tinha pensado desse jeito e realmente, concordo com tudo! E sim, seria ótimo ser um pouco Mario ás vezes haha
    Um beijão,
    Gabi do likegabs.blogspot.com ♡

    ResponderExcluir

Expresse-se! Sua opinião é muito importante! Aproveita e deixa o link de seu blog (ou site) para que eu possa retribuir o carinho, tá?

Publicações Relacionadas
Design + Programação por Demara Soares © 2013 - 2017 | Powered by Blogger | Todos os direitos reservados | Muito Melhor Visualizado no Google Chrome